"O que diferencia «uma mudança reformista» de «uma mudança não reformista» num regime político, é que no primeiro caso o poder continua fundamentalmente nas mãos da antiga classe dominante e que no segundo o poder passa das mãos dessa classe para uma nova."

quarta-feira, 28 de março de 2018

O declínio da nossa vila


Quem hoje após o jantar teve a ideia de fazer uma caminhada ao longo do rio que banha Coruche e tomar um café, aproveitando o final de tarde/noite que se apresentava bastante agradável, depois de um Março bastante frio e chuvoso, deparou-se com "uma vila" deserta, tristonha e em claro declínio. 

O "Del Rio" fechado, o Jardim 25 de Abril a agonizar aguardando o início da malfadada "requalificação", o "ecrã gigante" junto às "corujas" difundia patéticas imagens repetidas até à exaustão do "progresso e das comezainas festivas promovidas pela edilidade".


Para consolação, o "Bar Azul" junto ao "cú de Coruche" estava aberto.

De volta pela rua direita não se via viva alma, rua de Santarém idem! para culminar a passeata, do antigo quartel dos bombeiros até ao posto da GNR, escuridão total!


O que é que está a acontecer em Coruche?

É urgente a implementação de políticas que invertam este declínio que se acentua de dia para dia.

1 comentário:

Anónimo disse...

Caro Amigo,

Para quando colocar a nú que a "Empresa" Búzios se encontra no momento a realizar serviços para a câmara municipal de Coruche, Almeirim, Chamusca e Azambuja sem terem licença para o fazer. Ou seja neste momento a câmara de coruche esta a pagar um serviço a uma empresa ilegal desde Março de 2018.