"O que diferencia «uma mudança reformista» de «uma mudança não reformista» num regime político, é que no primeiro caso o poder continua fundamentalmente nas mãos da antiga classe dominante e que no segundo o poder passa das mãos dessa classe para uma nova."

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Faz hoje três anos que morreu José Casanova


Continua por cumprir a recomendação feita pela Assembleia Municipal à Câmara Municipal de Coruche.


sábado, 11 de novembro de 2017

Um outro olhar sobre Coruche


Depois de 17 anos de governação PS em Coruche

Ao contrario do prometido, mantém-se e até aumentou!

O bairro de barracas em S. Antonino






quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Eles querem "matar" O Jardim 25 de Abril !


Se deixarmos, eles vão! Com o projecto que querem implementar, "MATAR" o jardim 25 de Abril.

Tal como mataram a Feira de São Miguel !

Exijamos uma discussão pública do projecto, e, a auscultação da população.

Não queremos na Vila mais "mamarrachos" !!!



quarta-feira, 8 de novembro de 2017

A incompetência é no que dá...

Informa o "Mirante" que houve um desfalque na Junta de Freguesia de Coruche.

(AQUI)


É curioso! que esta notícia só após as eleições tenha sido noticiada pelo jornal.

Curioso ou talvez não, é o" Mirante" informar que o "desvio" de receitas da junta teve início em 2011 e não assinalar o facto que a junta em todo esse período foi presidida por eleitos do PS que deveriam ser responsabilizados politicamente por negligência no exercício das suas funções.

Um presidente que está a tempo inteiro na junta tem a obrigação de estar atento à gestão e administração da autarquia que preside, a confiança nos funcionários não pode ser confundida com "o deixa andar", nem justifica comportamentos negligentes como foi o caso.



terça-feira, 7 de novembro de 2017

#100

A Revolução de Outubro faz 100 anos


" Pomos em evidência aquilo que a propaganda imperialista a todo o custo esconde: que foi a pátria dos «sovietes», o primeiro país do mundo a pôr em prática ou a desenvolver como nenhum outro, direitos sociais fundamentais, como o direito ao trabalho, a jornada máxima de 8 horas de trabalho, as férias pagas, a igualdade de direitos de homens e mulheres na família, na vida e no trabalho, os direitos e protecção da maternidade, o direito à habitação, a assistência médica gratuita, o sistema de segurança social universal e gratuito, e a educação gratuita, se assegurou o acesso à cultura e à prática do desporto. "
Jerónimo de Sousa
Secretário-geral do PCP,
COMÍCIO COMEMORATIVO DA REVOLUÇÃO DE OUTUBRO
07/11/2017


terça-feira, 24 de outubro de 2017

A outra face da Vila de Coruche

Ao contrário do que nos impingem nos "boletins municipais de propaganda", a nossa Vila vai decaindo dia após dia, mês após mês, ano após ano!

A maioria socialista vai entretendo a população com a sua política "Festeira".

Mas os Coruchenses devem estar mais atentos à verdadeira realidade, que é hoje Coruche! que continua a definhar (pese embora a propaganda)

A realidade nua e crua... aí está a dizer-nos que "o rei vai nu"!



sábado, 21 de outubro de 2017

A memória de Marcelo e a injustiça do esquecimento…



Uma coisa de que Marcelo se esqueceu de dizer, no seu discurso:

“Este governo não poderia ter feito em dois anos, aquilo que os anteriores governos (os do PS e os do PSD e CDS) não fizeram, em quarenta anos”.


O que Marcelo omitiu:

“Foi o ministro da Administração Interna do governo de Santana Lopes, David Sanches, que negociou e, depois, com o governo já demissionário, adjudicou ao consórcio de Oliveira e Costa, Ricardo Salgado e Dias Loureiro (olha que trio!) o SIREPS, num negócio ruinoso para o Estado, porque, além de dispendioso, avaria constantemente e não funciona em situações extremas de emergência (!)”.


O que Marcelo não denunciou:

“O facto de a dirigente política, que agora apresentou, no Parlamento, uma moção de censura, é a mesma pessoa que, como ministra da Agricultura do governo de Passos Coelho, alargou a área de plantação do eucalipto, que, em percentagem, em relação à área total da floresta do país, é a maior da Europa".

Alexandre de Castro

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Terras «com dono conhecido» também ardem

Fogos não pouparam o Pinhal de Leiria nem o Parque Natural da Serra da Estrela

Zona do Pinhal de Leiria consumido pelas chamas de dia 15 de Outubro e onde se estima que tenha ardido mais de 80% da sua área, Marinha Grande. 17 de Outubro de 2017Créditos - Miguel A. Lopes / Agência LUSA

Os incêndios destes dias demonstram de forma crua, mais do que um problema com as terras «sem donos conhecidos», há falta de meios públicos na protecção do património florestal, a começar pelo que é público.

De acordo com os dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais (EFFIS, na sigla em inglês), arderam mais de 200 mil hectares entre domingo e esta manhã no nosso País. Este valor é equivalente a toda a área ardida em Portugal do início do ano até 30 de Setembro, de acordo com o último relatório do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

Durante a discussão do pacote florestal do Governo na Assembleia da República, um dos pontos que gerou maior debate foram as terras ditas «sem dono conhecido» e o destino a dar-lhes. Não se conhece a extensão destas áreas, já que o cadastro florestal não foi ainda feito – o anterior governo não o fez, canalizando os 700 milhões de euros necessários para a redução do défice das contas públicas e o pagamento da dívida.

A solução proposta pelo Executivo e subscrita pelo BE, que foi chumbada, passava pela concentração destas terras num banco de terras público, mas podendo ser colocadas à disposição de privados, através de arrendamento de longo prazo.

No entanto, a análise das áreas ardidas este ano, e particularmente nos últimos dias, mostram que grande parte destas correspondem a terras com dono conhecido, e bem conhecido.


Mais de 15% da área ardida sofreu directamente com cortes nos meios públicos

O Corpo de Guardas Florestais foi extinto em 2016.

Por proposta do PCP, a sua recriação foi incluída no Sistema Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios aprovado em Julho pela Assembleia da República

Até 30 de Setembro, mais uma vez de acordo com o relatório do ICNF, 16% da área ardida corresponde a terras sob gestão desta instituição pública fustigada pelos cortes orçamentais nos últimos anos. Os meios públicos para a prevenção contra incêndios foram sendo debilitados ao longo dos últimos anos, seja através da extinção do Corpo de Guardas Florestais ou o sucessivo adiamento da constituição de 500 equipas de sapadores florestais.

Mas os últimos fogos mostram de forma mais crua esta realidade e a necessidade de um reforço efectivo de meios técnicos, humanos e financeiros para a defesa da floresta, nomeadamente as áreas sob gestão pública.

Matas nacionais dizimadas nos últimos dias


O incêndio que se iniciou no concelho de Alcobaça fez arder quase 12 mil hectares. Destes, a esmagadora maioria corresponde às mata nacionais de Leiria, de Pedrógão e do Urso, áreas de propriedade pública e sob gestão do ICNF.

Mas também em áreas protegidas, também geridas pelo ICNF, arderam largas extensões. No Parque Natural da Serra da Estrela, deflagraram dois incêndios florestais no último domingo, nos concelhos de Gouveia e de Seia. Em conjunto, de acordo com o EFFIS, estes fogos estenderam-se por mais de 15 mil hectares, cerca de dois terços dos quais (dez hectares) dentro do perímetro do Parque Natural.

Para além destas, há outras áreas protegidas ou de propriedade pública que arderam em menor dimensão, como são os casos da Mata Nacional das Dunas de Quiaios, na Figueira da Foz, em que arderam pelo menos 30% dos seis hectares que a compõem; as matas nacionais das dunas de Vagos e da Gafanha (Ílhavo); grande parte da Paisagem Protegida da Serra do Açor; uma pequena parcela do Parque Nacional da Peneda-Gerês.

As terras «sem dono conhecido» têm sido ao longo dos anos um dos argumentos a que se recorre amiúde para justificar situações que, apontam os dados, resultam de falta de meios para a prevenção e defesa da floresta contra incêndios – a começar pelo património florestal que é público.



segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Grande Fiasco

Misturar Livros, Arroz e Amianto na ex garagem da rodoviária, em Coruche, só pode resultar em grande fiasco!

Apesar do grande investimento em trazer "famosos" este evento passou ao lado dos coruchenses.

Continuem assim a gastar o nosso dinheiro em inutilidades que chegarão longe!






sábado, 14 de outubro de 2017

PCP garante metade das progressões na Função Pública já no próximo ano

Orçamento do Estado foi entregue ontem à tarde no Parlamento


Os trabalhadores da Administração Pública vão sentir o descongelamento das carreiras de forma mais acentuada já em 2018. Por intervenção do PCP, as progressões vão ter um efeito de 50% já no próximo ano, ao contrário dos 33% propostos pelo Governo.

O descongelamento das carreiras na Administração Pública vai ser feito num ritmo mais rápido, garantindo metade dos efeitos na remuneração já no próximo ano. Em Janeiro, os trabalhadores da Administração Pública a quem são devidas progressões na carreira (cerca de 88% do total) vão sentir um aumento de 25% logo em Janeiro, com os restantes 25% a chegarem em Setembro.

O AbrilAbril confirmou que a intervenção do PCP, no âmbito da discussão do Orçamento do Estado para 2018, garante ainda que as progressões são concretizadas nos próximos dois anos, com mais 25% a ser aplicado em Maio de 2019 e o restante em Dezembro desse ano.

O Governo pretendia que os efeitos fossem diluídos ao longo dos próximos quatro anos. Numa proposta preliminar posterior, que foi discutida com as organizações sindicais, estava previsto apenas uma subida de 33% ao longo de 2018, com os restantes dois terços a chegarem apenas mais tarde.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

O estaleiro das Tronqueiras

Dois meses após as festas, ainda permanece frente ao Lidl e à central de camionagem (vamos ver até quando) o "estaleiro das tronqueiras".


Está a dar uma péssima imagem às "dezenas de milhares de turistas" que por estes dias visitam a vila de Coruche onde ocorrem vários eventos.

Os forasteiros e residentes podem escolher entre o "mercado das artes" ou a "bienal", visitar a "fantástica feira do livro" e ao mesmo tempo "degustar o nosso arroz" e em simultâneo são brindados com "concertos musicais", já que a "organização" não deixa nada ao acaso e aproveitando as "óptimas condições acústicas" do pavilhão multiusos ou será "centro de exposições de Coruche?"

QUE! Registe-se!!! Ainda tem a cobertura em amianto!



PS: Será que o "monte de tronqueiras" é mais uma peça da bienal em exposição?


sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Deslumbramentos Provincianos

Os socialistas de Coruche estão nas nuvens, em estado de deslumbramento pela vitória nas eleições do passado domingo.

Como se o facto de terem tido mais votos,
fosse sinónimo de serem  competentes para governar o concelho!

Hora aqui é que bate o ponto, eles vão ganhando eleições mas a vila e o concelho continuam numa trajectória de definhamento.

O Isaltino também venceu as eleições em Oeiras mas
isso não faz dele um político impoluto.

Pensem nisso!






quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Trabalhadores repudiam os "testa de ferro" de Chora

Os trabalhadores da Autoeuropa não deram qualquer lugar à lista do coordenador demissionário, que negociou o pré-acordo para tornar os sábados em dias normais de trabalho. As três listas mais votadas tiveram resultados muito próximos.


A lista F, encabeçada por Fernando Sequeira, que substitui o dirigente do BE António Chora na coordenação, no início do ano, teve apenas 2% dos votos, não elegendo qualquer membro, numa votação que decorreu no dia 3 de Outubro, entre o final da tarde e o início da noite. Nas eleições de 2015, a lista A, então liderada por Chora, recolheu quase 60% dos votos e elegeu sete dos 11 membros.

A lista E foi a mais votada no escrutínio de ontem, com cerca de 30% dos votos e quatro eleitos, enquanto as listas D e C (integrada por activistas e dirigentes do SITE-SUL/CGTP-IN) elegeram ambas três membros, com uma votação acima dos 26%. O 11.º representante foi eleito pela lista A, integrada por trabalhadores dos escritórios da empresa.

A nova comissão de trabalhadores tem pela frente, já no imediato, a responsabilidade de enfrentar a intenção da administração da fábrica de Palmela de impor o sábado como dia normal de trabalho. O pré-acordo negociado durante o Verão foi chumbado em referendo por cerca de 75% dos trabalhadores.



A empresa tem um longo historial de ingerência na estrutura desde a sua origem, como testemunhou um antigo director de Recursos Humanos, em 2000, num artigo na Análise Social – com a produção de falsos comunicados em nome dos trabalhadores, interferência na composição da comissão de trabalhadores e reuniões preparatórias entre a administração e o então coordenador, prévias aos processos negociais.

Apesar da derrota da lista do coordenador demissionário, que vinha de uma linha de continuidade desde 1994, não é expectável que a administração da fábrica da Volkswagen em Portugal abandone as suas práticas históricas.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

A PROPÓSITO DAS ELEIÇOES


"No que respeita às eleições autárquicas, é em facto que, como nos disse Álvaro Cunhal, nenhuma classe passa de governante a governada por uma estrada de linha recta ou por avanços continuados. Não o faz sem vitórias e sem derrotas... não o faz sem que, em muitas ocasiões, não pareça estar vitoriosa, quando a vitória está longe, e, em muitas outras, não pareça estar para sempre abafada e reduzida, quando das cinzas da derrota se desenvolve pela calada novo fogo mais violento e mais potente".

Há que aceitar que estas eleições não sendo o Alfa & Ómega da nossa luta eram importantes na nossa luta. Há que assumir que não foram um bom resultado e pôr os pés ao caminho para recuperar o que se perdeu e ir mais além.

Mal seria dos povos se sempre que perdem batalhas, ainda mais parciais, arrumassem as botas, viveriamos ainda no esclavagismo.


sexta-feira, 29 de setembro de 2017

terça-feira, 26 de setembro de 2017

(Assim vai o nosso património)

No "cú de Coruche" - como é designada a parte da Vila que os socialistas abandonaram e desprezaram desde que chegaram à câmara - encontra-se mais um exemplo do abandono do património histórico Coruchense.

Serviu à anos atrás, para um a manobra eleitoralista, hoje está assim, como se pode ver pelas fotos.

Ao abandono.



Nem a CP, nem a Câmara se preocupam!

Não dá votos?

domingo, 24 de setembro de 2017

Estes "mataram" a Feira de São Miguel em Coruche


A "morte" lenta da Feira de São Miguel iniciou-se no "reinado" de Dionísio Mendes, com a transferência do "Rossio" para o local por eles pomposamente "baptizado" de "Parque de Mercados e Feiras".

Francisco Oliveira e suas Muchachas deram-lhe o golpe final este ano.

É curioso que, havendo um espaço por eles batizado de "Parque de Mercados e Feiras" não se realize aí a "Feira da Cortiça" - FICOR ou outros eventos, dos muitos que eles promovem ao longo do ano.

Sabemos que para a feira recuperar o brilho e importância de outros tempos é necessário que a autarquia tenha vontade política, para tal! e invista na sua promoção e divulgação, estimulando os feirantes a participar e implementando um conjunto de actividades nos dias de Feira de forma a atrair os coruchenses e forasteiros, se eles como afirmam, querem recuperar e defender as "tradições Coruchenses" e preservar as memórias do passado, então porque não o fazem?

Se gastam tanto dinheiro a apoiar a Feira da Cortiça, a Feira dos "Ribeiro Telles", festivais de balonismo, e tantas e tantas outra festarolas, e até em procissões.
Não podem dar mais atenção à "Tradição" que é a Feira de "São Miguel" ?

Sabemos que em matéria de tradições de Coruche eles andam um bocado baralhados!
Já que nos servem nos últimos anos "doses" e "doses" de "touros à corda" que nada tem a ver com a tradição de Coruche!

Temos agora a oportunidade de correr com esta gente, assim saibamos aproveita-la!

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

BOMBEIROS interpelam PSD!



Na reunião da Câmara Municipal realizada a 6 de Setembro um grupo de bombeiros questionou a vereadora do PSD e ameaçou-a com processo judicial.




Em causa estão alegadas acusações da dita vereadora proferidas na reunião de 26 de Julho, relativamente a situações na corporação de "abuso" de álcool.

Alguma coisa se passa!? Não há fumo, sem fogo!




quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Ginásio ao ar livre


A quinze dias das eleições, o presidente da união das freguesias de Coruche, Erra e Fajarda, mandou instalar no jardim João de Deus "aparelhos de exercício físico".

Não deixa de ser curioso este comportamento.

Teve todo o mandato para o fazer, porquê agora?

Que mensagem quer ele passar?

Será que a intenção foi a de deixar os cofres vazios !?


Ou é por despeito por não continuar nas listas do PS?

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Mais um sinal...!


Consta que o balcão da "Caixa Agrícola" e o "multibanco" do Biscainho vão encerrar.

Diz-se também que a câmara se tem alheado do problema, a população essa, está preocupada!


Mais um sinal de declínio do concelho sob a gestão socialista!

sábado, 9 de setembro de 2017

O Chico e as Chico Espertices


Adaptar o edifício do antigo cinema do Couço a centro cultural é uma promessa do PS de Coruche  já com 16 anos e nunca concretizada, a exemplo aliás, de muitas outras.

Mas eis que, o Chico Oliveira, na última reunião de câmara tira um coelho da cartola e em mais uma atitude de chico Esperto, anuncia que tem um acordo com a fábrica da igreja paroquial do Couço para celebrar uma escritura, em que, a fábrica paroquial doa à C.M.C. o direito de superfície do prédio onde está o edifício do cinema, por 35 anos.

Afirma ter um acordo para que as obras se iniciem no prazo de quatro anos. 

E que a requalificação​ do edifício em Centro Comunitário Multiusos,  integrado no "PAICD - Plano de Acção Integrado para as Comunidades Desfavorecidas",  está associado à requalificação do bairro da liberdade.

O Chico está na câmara desde 2005, nos últimos quatro anos como presidente

E só agora! em cima das eleições vem anunciar este"projecto"!

Sabendo bem que não passa de propaganda eleitoral, pois não há garantia de qualquer financiamento para o referido "PAICD" que orça em mais de dois milhões de euros!


Também sabe que não vai haver qualquer escritura de doação do direito de superfície neste mandato.


Então porquê agora Levar este assunto à câmara?
(chico Espertices)


Esta forma de fazer política tem vindo a ser condenada pela CNE!


O povo do Couço certamente que não se deixará manipular, e dará em 1 Outubro a cabal resposta a estas "espertices".




quarta-feira, 6 de setembro de 2017

As Trafulhices Socialistas,

a Rádio Voz do Sorraia e os Chico espertos!


Falida desde 2010, a RVS, só se tem "aguentado" devido ao esquema engendrado pelos socialistas, que! para manter este meio de propaganda à sua disposição, desde 2011! encaminham através da empresa "APELO À RAZÃO" (propriedade do Banha, de Santana) um subsidio mensal de mais de 1500 euros proveniente da Câmara de Coruche.


Acontece que, mesmo com o financiamento da Câmara, a "RVS/APELO À RAZÃO" não consegue pagar a renda ao proprietário das instalações que ocupa na Rua do Couço.


E por isso, está na contingência de ser "despejada"!


Ora isso é que os socialistas querem evitar, não querem, sobretudo em tempo eleitoral perder este meio de propaganda, vai daí, toca de arranjar novas instalações, e hoje na reunião de Câmara decidiram arrendar (à RVS/Apelo à Razão) por 70 euros mensais, uma sala no edifício da Antiga Escola Primária no Bairro Novo.



Este "assunto" ainda vai dar que falar, o dinheiro do município não é para ser usado ao belo prazer dos socialistas.

Além do mais! o edifício da escola do bairro novo não é para instalar empresas privadas!? Foi prometido que ali só se instalariam colectividades e associações!



"APELO À RAZÃO" (propriedade do Banha, de Santana)

Clique AQUI

e AQUI

e

!!!AQUI!!!

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Tretas!

Quem entra em Coruche vindo pelas pontes, encontra uma placa com os seguintes dizeres:

"Coruche Capital da Cortiça.
Respire fundo aqui pode"


Ora este convite, é no mínimo despropositado! e destituído de qualquer sentido, porque! a pouco mais de cem metros de distância podemos encontrar o "pego das baleias" (AQUI) 


que, com a estagnação das águas e com o lixo lá depositado é um foco de produção de mosquitos, perigoso para a saúde pública, para além de ser revelador da insensibilidade dos responsáveis da autarquia na defesa do ambiente e da qualidade do ar que respiramos.

A mensagem "respire fundo aqui pode" é mais uma treta dos socialista!


terça-feira, 29 de agosto de 2017

À PS!

Propaganda Eleitoral


Francisco Oliveira na qualidade de presidente da câmara, manda fazer propaganda em favor do recandidato à Câmara Francisco Oliveira.

Como se pode ver nas fotos publicadas no ultimo boletim municipal, distribuído durante as Festas:





É razão mais que suficiente para o Ministério Publico intervir!

sábado, 26 de agosto de 2017

A deriva Revivalista e Populista em Coruche


Para chegar ao poder em Coruche o PS local desenvolveu uma estratégia assente na ideia chauvinista e xenófoba que, só quem tivesse nascido em Coruche, estaria em condições de governar o concelho e puxar pelo bairrismo e orgulho dos Coruchenses.

Coruche aos coruchenses! era esta a consigna. É claro que a direita e os poderosos da terra acolheram, apoiaram e financiaram esta campanha, que também assentou na exploração da questão da etnia cigana, ampla e profusamente difundida pelo concelho.

Chegados à Câmara logo tentaram pôr em prática o seu projecto revivalista e populista.

- Promoveram manifestações contra os ciganos;

- Alimentaram as expectativas a um grupo de neofascistas liderado por AMS, de repor o Busto na Praça da Liberdade do Salazarista Luís Alberto de Oliveira;

Entregaram de Mão beijada os Açudes do Monte da Barca e da Agolada aos antigos proprietários;

- Acordaram com a "família Barreiras" no Couço a devolução dos terrenos de interesse publico legitimamente ocupados pela população em 1974;

- Recuperaram Supostas "tradições" que mais não são, que manifestações de exaltação de valores e costumes da vida de miséria existente antes do 25 de Abril (como se pode ver ultimamente nos cortejos das festas e na "barrigada" de touros na rua que oferecem à população);

- A nossa Câmara, passou a ter com a igreja, uma relação de Submissão e Bajulação como no tempo de Salazar e Marcelo;

- Este ano a concepção do próprio cartaz das festas com um campino de pujantes "suíças" era reveladora da reverencia, Veneração e submissão da nossa Câmara aos novos "senhores" herdeiros dos latifundiários de outro tempos;


Pela mão do PS em Coruche, ganha forma e poder a tríade.


Câmara submissa aos poderosos, Igreja que recupera poder e influencia, e as três ou quatro famílias que dominam economicamente no concelho.

Tudo isto em nome de "um desenvolvimento sustentável" que ninguém nos explica o que é, mas entretanto o concelho continua a definhar!!!


quarta-feira, 23 de agosto de 2017

É pura coincidência!

Na reunião da Câmara a realizar, hoje, dia 23 de Agosto, constam da ordem do dia 13 pontos cujo assunto é, Empreitadas:

- Repavimentação da rua de Coruche em Santana do Mato;

- Reabilitação e ampliação do pavilhão desportivo da E.B.2/3 Armando Lizardo;

- Infraestruturação da rua "A" na zona industrial do Monte da Barca;

- Execução de passeios na rua de Coruche-Rebocho;

- Construção do edifício multi-familiar  na rua Direita/travessa do Monteiro;

- Requalificação do jardim 25 de Abril e largo porto João Felício;

- Execução de obras de urbanização da Zona Industrial do Monte da Barca - norte/área empresarial do Sorraia;

- etc;

- etc;

- etc;

- ... ;


- 5 pontos da ordem! do dia são para atribuição de subsídios diversos!


Aqueles que pensam que esta ordem do dia tem alguma coisa a ver com o facto de, em 1 de Outubro haver eleições estão enganados, o PS do Chico Oliveira, não governa em função do calendário eleitoral!

O PS só não avançou mais cedo com as obras previstas e prometidas à anos porque, o calendário de realização de festas tem sido muito exigente e só agora, vai haver tempo para avançar com as obras.

Não sejam mal intencionados o PS não é eleitoralista!




sábado, 19 de agosto de 2017

A Ditadura das Tronqueiras


Coruche, Sexta Feira 18 de Agosto 9.30 da manhã, várias pessoas, dirigirem-se ao "Lidl" e à papelaria que fica em frente a "Cabra-Cega", como fazem todas as manhãs, só que desta vez a rotina matinal destas pessoas é perturbada pelas "tronqueiras" que invadiram as ruas de Coruche e impedem a entrada de viaturas no Parque de estacionamento e dificultam o acesso aos estabelecimentos comerciais.

As pessoas, para poderem fazer as suas compras vêm-se obrigadas a enormes desvios ou em alternativa a "furarem" as malditas "tronqueiras" que estão por todo o lado.

Uma vergonha, uma falta de respeito para com todos aqueles que compreendendo a importância das festas para os Coruchenses, acham contudo desproporcionado a dimensão a que se chegou relativamente às largadas de toiros, toiros à corda, picarias e encierros, etc...

Tudo isto fruto do revivalismo doentio de uns quantos, que dispõem da cobertura e apoio da Câmara Municipal.

A Câmara deveria procurar que o legítimo direito dos amantes dos toiros, não colidisse com a tranquilidade e os direitos daqueles e são cada vez mais, que consideram que se está a exagerar.

Nem no tempo do fascismo isto acontecia em Coruche.


sexta-feira, 18 de agosto de 2017

A Luta de classes na Venezuela!



A questão do Estado é a questão central de qualquer revolução
Venezuela, a questão central do poder
A violência da campanha contra a Venezuela bolivariana e a não menos violenta onda de anticomunismo vomitada contra o PCP só é explicável porque o que está em jogo é o destino de um processo revolucionário. A extraordinária agudização da luta que opõe as forças reaccionárias e o imperialismo às forças que defendem as conquistas alcançadas desde a histórica vitória de Hugo Chávez nas eleições presidenciais de 1998 não é apenas em torno da orientação política do poder, mas em torno do próprio poder, seu conteúdo económico e social e natureza de classe.

A questão do Estado é a questão central de qualquer revolução e na Venezuela o que tem estado em desenvolvimento com a aprovação da Constituição bolivariana que consagra uma orientação popular, anti-oligárquica e anti-imperialista é um original processo de transformações revolucionárias que já se traduziram em grandes avanços e conquistas democráticas, mas cuja defesa e consolidação exigem – como aliás prevê a própria Constituição – que o sistema de poder supere os métodos, ainda predominantes, da democracia formal burguesa e se aprofunde a componente participativa da democracia, de modo a enraizar o Estado nas massas trabalhadoras da cidade e do campo e a colocá-lo ao abrigo da demagogia, da sabotagem e da provocação, sempre prontas a aproveitar-se de factores conjunturais adversos para inverter e destruir o processo bolivariano.

Que não haja qualquer dúvida. O que faz correr tão agressivamente a «oposição» interna, o imperialismo norte-americano (e europeu) e a reacção latino-americana, não é a «democracia» nem os «direitos humanos», e muito menos o respeito pela Constituição bolivariana a que aliás sempre se opuseram. O ensurdecedor coro montado no plano internacional contra a Assembleia Nacional Constituinte – do qual, lamentavelmente, seguindo a posição hostil da União Europeia, participa o Governo português – mostra que é realmente a natureza de classe do poder que está em causa e que a reacção e o imperialismo estão dispostos a tudo para atingir os seus objectivos contra-revolucionários. Não é por acaso que tal coro esconde que a própria Constituição de 1999 prevê o seu aperfeiçoamento no interesse do aprofundamento do carácter popular e soberano do processo bolivariano. O que significa que a resposta do governo da Venezuela à ofensiva contra-revolucionária é não só legítima como inteiramente constitucional. Em qualquer caso, é bem sabido que uma revolução que se não defenda com todas as armas ao seu dispor é uma revolução perdida. A revolução bolivariana defende-se e tem ao seu lado os comunistas portugueses. O PCP não hesita em questões de princípio. Nenhuma campanha fará o PCP vacilar na sua posição internacionalista.

Apesar de frustrada no imediato, a ofensiva contra-revolucionária que desde Abril já provocou mais de cem mortos não terminou. A brutal ameaça de intervenção militar dos EUA, sem precedentes na história da Venezuela, mostra que a solidariedade com o processo revolucionário bolivariano tem de continuar.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

SÓ MARRADAS


Elas aí estão as festas de 2017.

Mais uma edição, este ano a programação vem confirmar que o "modelo" das festas do castelo tem de ser repensado para que voltem a ter o brilho e qualidade de outrora.

A overdose de 'touros e copos" durante quatro dias já não se aguenta, os "touros à corda" nada têm a ver com as tradições coruchenses.

A comissão de festas está sem ideias, precisa levar uma volta.

A câmara, gasta nestas festas cerca de 150 mil euros! é muito dinheiro para tão pouca qualidade.


terça-feira, 8 de agosto de 2017

A Praia


A prome(n)tida praia fluvial de Coruche, anunciada por Chico Oliveira num Passeio de barco no Sorraia em 2015. Continua sem se ver...

Contudo, na reunião de Câmara de 8 de Fevereiro foi aprovada uma "aquisição de serviços" no valor de 13.038.00€ para a elaboração do estudo prévio e projecto de execução da dita, à empresa "NEMOS" com o prazo de execução de 150 dias.

Já estamos em meados de Agosto e da praia não há qualquer sinal!

Esta é mais uma mentirola dos socialistas que vai para a já vasta galeria das promessas não cumpridas.

PS: Informa-se que a embarcação "Coruja do Sorraia" se encontra-se em estado de coma na Zona Industrial do Monte Da Barca e dificilmente voltará a sulcar águas coruchenses.

A Venezuela Vencerá!

A eleição da Assembleia Constituinte venezuelana e a sua tomada de posse ontem constituem uma importantíssima vitória. Não significa, é certo, o fim das ingerências do imperialismo e da violência fascista na Venezuela. Trump já anunciou novas sanções, pela ousadia de dar a voz ao povo. Querem mais sangue, mais Líbias, mais Sírias, mais Iraques. O coro mediático, em que no nosso país participam vozes que vão da extrema-direita ao BE, não irá calar-se. Mas a clara afirmação da dignidade e coragem dum povo que quer a paz e não quer ceder as conquistas da Revolução Bolivariana abre melhores perspectivas para os combates futuros.
A eleição para a Assembleia Nacional Constituinte (ANC) da Venezuela foi uma enorme vitória. Desde há meses, o país é vítima duma brutal violência diária da reacção interna e internacional, que aproveitou a baixa do preço do petróleo para gerar o caos económico como arma de subversão (como no Chile dos anos 70, preparando o terreno para Pinochet, ou na própria Venezuela, preparando o golpe de Estado de 2002). Mas, apesar duma das mais miseráveis campanhas de patranhas da comunicação social ao serviço do grande capital e do imperialismo, o povo venezuelano acorreu em massa a votar, afirmando a sua vontade de ser soberano.
A «oposição democrática» – que queimou vivas várias pessoas nestas últimas semanas (há casos documentados em vídeo na Internet) – não só apelou à não participação no acto, como tentou activamente boicotar a abertura de centros de votação e a deslocação dos eleitores às urnas. O imperialismo mobilizou todos os meios: os bandos terroristas cujos crimes são depois imputados ao governo; uma comunicação social em «modo de guerra» e fake news, como as que antecedem todas as grandes operações imperialistas; as repetidas ameaças de sanções; os anúncios prévios de não reconhecimento dos resultados eleitorais; o assassinato de candidatos. Mas mais de oito milhões de venezuelanos votaram – a segunda maior votação absoluta a favor da Revolução Bolivariana. A percentagem de votantes pela ANC – 41,5% do corpo eleitoral – é quase igual à que obteve Macron na segunda volta face a Le Pen, no que foi considerado um triunfo esmagador. As imagens da afluência de muitas dezenas de milhares de eleitores das zonas mais atingidas pela violência fascista ao centro eleitoral especial instalado no Poliedro de Caracas falam por si sobre a determinação e coragem dos venezuelanos.
A importância da Venezuela é enorme: pelos seus recursos petrolíferos, mas também pelo que representa para os processos de afirmação soberana e progressista na América Latina e no mundo. Para quantos ainda se possam deixar levar pelas campanhas anti-bolivarianas que vão de Trump ao Bloco de Esquerda (declaração de CM, DN 30.7.17), deixemos que seja o próprio Director da CIA, nomeado por Trump, a esclarecer as coisas. Falando perante uma audiência amiga no fórum anual sobre «segurança» do Aspen Institute, disse Pompeo (transcrição no site do Instituto): «estamos muito esperançados que possa haver uma transição na Venezuela e nós na CIA estamos a fazer o nosso melhor para perceber a dinâmica, para a podermos transmitir ao nosso Departamento de Estado e outros. […] estive na Cidade do México e em Bogotá na penúltima semana, para falar precisamente desta questão e ajudá-los a compreender aquilo que podem fazer». Até a escolha do México e Colômbia é elucidativa. «Em Maio de 2017, o Instituto de Estudos Estratégicos e Internacionais de Londres, apontou o México como o segundo país mais violento do mundo, tendo em conta as 23 mil pessoas aí assassinadas no ano anterior. Só na Síria […] o número de pessoas assassinadas foi mais elevado em 2016» (abrilabril.pt, 30.7.17). Nada que preocupe a comunicação social imperial: é tudo a bem dos negócios.
Esta eleição não significa o fim das ingerências do imperialismo e da violência fascista na Venezuela. Trump já anunciou novas sanções, pela ousadia de dar a voz ao povo. Querem mais sangue, mais Líbias, mais Sírias, mais Iraques. Mas a clara afirmação da dignidade e coragem dum povo que quer a paz e não quer ceder as conquistas da Revolução Bolivariana, abre melhores perspectivas para os combates futuros.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Para avivar a Memória!

PS NÃO ACAUTELA INTERESSE MUNICIPAL


Ao aprovar o protocolo “Serviço de Transporte Ferroviário de Passageiros entre Coruche e Lisboa”, o PS fê-lo com uma grande doze de irresponsabilidade.
Estabeleceu compromissos financeiros e outros, cujo volume ninguém está em condições de avaliar.

Impunha-se que antes da assinatura deste protocolo, tivesse sido elaborado um estudo económico ou financeiro que permitisse com objectividade avaliar um conjunto de indicadores e só após esse estudo avançar ou não para a sua aprovação.

- Quantas pessoas se deslocam para Lisboa diariamente? 100? 200? Ninguém sabe ao certo com rigor!

- Das que se deslocam para Lisboa quantas tencionam optar pela viagem de Comboio?

- Os horários devem ser adaptados às necessidades dos eventuais passageiros e não aos interesses da CP/REFER. Será que os horários propostos servem eventuais utentes?

- O tarifário deveria ter sido previamente definido por forma, que os eventuais utentes possam avaliar das vantagens do transporte do comboio.


Não basta o presidente da câmara afirmar que diariamente vão para Lisboa centenas de Coruchenses. Para haver rigor neste processo deveria ter sido feito o estudo mencionado, que desse resposta às questões referidas e a outras que ajudassem a câmara a tomar uma decisão final.
Mas o PS assim não entendeu e aprovou o protocolo que responsabiliza a câmara pelas seguintes questões:

- Assegurar ligações rodoviárias regulares da vila para a Estação de Caminho de Ferro e vice-versa. Articuladas com os horários dos comboios. (Quanto vai custar à câmara?)

- Executar os trabalhos nos espaços circundantes à estação de Coruche, nomeadamente no que diz respeito à interface e acessibilidades pedonais e rodoviárias. (Quanto vai custar à câmara?)

- Assegurar a manutenção e conservação dos espaços interface e acessibilidades. (Quanto vai custar à câmara?)

- Assegurar a gestão, limpeza e vigilância pública nos espaços afectos aos passageiros, parque de estacionamento e interface, na estação de Coruche com níveis de qualidade a acordar entre as partes. (Quanto vai custar à câmara?)

- Comparticipar em 16.66% dos défices de exploração se os houver, procedendo ao respectivo pagamento mensalmente. (Quanto vai custar à câmara?)



Pela descrição feita das responsabilidades que cabem à câmara de Coruche, fica evidente que este processo foi tratado à pressa, sem qualquer estudo prévio sério que permitisse por um lado apostar na reactivação deste serviço e por outro acautelar o interesse público municipal.

Estranho é que o presidente da câmara, quando confrontado com a necessidade de apoiar os Coruchenses mais carenciados, diga que a vocação da câmara não é dar esmolas e remete para a “caridade” da segurança social.
Para este negócio com a CP/REFER “abre os cordões à bolsa”, da forma como ficou demonstrado, só porque pensa que com assinatura deste protocolo obtémmais uns votos.



ESTA GESTÃO MERECE SER CASTIGADA PELOS CORUCHENSES