"O que diferencia «uma mudança reformista» de «uma mudança não reformista» num regime político, é que no primeiro caso o poder continua fundamentalmente nas mãos da antiga classe dominante e que no segundo o poder passa das mãos dessa classe para uma nova."

domingo, 25 de junho de 2017

Hortas do Sorraia

Foi uma das ultimas "tiradas" do anterior Presidente socialista - a implementação do projecto Hortas do Sorraia.

Anunciado em meados de 2013 e tendo o regulamento sido aprovado em Setembro do mesmo ano pela Assembleia Municipal, até hoje, passados quatro anos e depois de gastos cerca de duas dezenas de milhares de euros, o actual executivo socialista - sempre preocupado com assuntos mais importantes - não conseguiu até hoje, que fosse cultivada uma única parcela.

E quem entra em Coruche vindo pela nacional 114-3 o que encontra é esta imagem desoladora.


Mas curiosamente uns metros mais à frente podemos ver uma "horta" mesmo na berma da estrada que diga-se é muito mais agradável à vista que a proliferação dos canaviais que abundam um pouco por todo o concelho nas bermas, seria até bom que a moda de cultivar as bermas das estradas pegasse pois assim se aumentaria a produção de hortícolas e as nossas estradas teriam um aspecto mais cuidado.



Aqui fica a sugestão! 

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Em Sintonia!

À pergunta dos deputados,

(AQUI)


a reposta foi rápida!




quarta-feira, 21 de junho de 2017

"O VIL METAL"


Bombeiros Municipais de Coruche “em pé de guerra”



«Situação foi objecto de debate na última reunião de câmara.

O ambiente anda tenso no quartel dos Bombeiros Municipais de Coruche e encontra-se a decorrer um processo disciplinar a um operacional devido às quezílias que têm havido nos últimos tempos. O assunto chegou à última reunião de câmara, onde a vereadora Liliana Pinto (PSD) disse que já há relatos de ameaças graves que envolvem violência física.

Em causa estão divergências internas relativas ao pagamento de horas extraordinárias e envolvendo elementos que constituem a Equipa de Combate a Incêndios (ECIN), constituída por cinco elementos e um veículo florestal, e a Equipa Logística de Apoio ao Combate (ELAC), constituída por dois elementos e um veículo de abastecimento. Equipas que garantem capacidade de resposta “24 horas sobre 24 horas” desde 1 de Junho no combate a fogos florestais no concelho.

“É esta situação que tem gerado mais desagrado por parte dos elementos que fazem parte destas equipas” devido a questões de disponibilidade, pois muitos têm dificuldade em compatibilizar a vida pessoal com a profissional, disse o presidente da câmara, Francisco Oliveira (PS), durante a reunião do executivo.»

O presidente da Câmara de Coruche, Francisco Oliveira (PS), diz estar disponível para se reunir com todos. Adianta que existem bombeiros municipais que, durante o descanso, fazem horas como bombeiros voluntários e que, obviamente “não são remunerados por essas horas extraordinárias”. “Os bombeiros quando foram para aquela profissão sabiam o que contavam. Eles sabem que têm de seguir aqueles horários e aquelas regras”, confessa.»



terça-feira, 20 de junho de 2017

Será Desta ?

Publicado a 22 de Janeiro de 2015
(AQUI)

Foi na última reunião da Câmara Municipal de Coruche aprovada a minuta do contrato a celebrar com o empreiteiro a quem foi adjudicada a obra de de "requalificação do largo da Lamarosa.

Recorde-se que esta obra à anos que vem sendo anunciada, contudo por mera "coincidência" é em cima das eleições que finalmente irá arrancar!

Em conformidade com o "modus operandi" (habitual) o Chico Oliveira começará por colocar no local um "placard" de modo a que os eleitores não esqueçam este "melhoramento para freguesia".

Lá para o final de 2019 teremos a obra concluída, (cá estaremos para ver) ainda que prometida! no anterior mandato!

É caso para dizer... Chico espertices! 


quinta-feira, 15 de junho de 2017

A CM de Coruche ao serviço dos grandes industriais da Cortiça


Na reunião da câmara (realizada ontem) foi aprovado um protocolo com a APCOR (Associação Patronal do Sector Corticeiro) cujo objecto é promover a valorização da fileira da cortiça junto dos mercados internacionais.

É indiscutível que o desenvolvimento deste sector é importante para o concelho de Coruche e que a autarquia deve dar o seu apoio como aliás sempre deu!

Agora!

Num sector que exportou 900 milhões de euros em 2015 contra 600 milhões em 2009 e que, como é do domínio público vem acumulando lucros anuais de milhões à custa de baixos salários, SEJA a nossa câmara ainda a financiar a APCOR como prevê o protocolo aprovado ontem, que estabelece que a CMC contribuirá com um subsidio de 12,500.00 € em 2017 e indicará três técnicos superiores do Município para integrar a comissão de "acompanhamento" da campanha promocional.

Em contrapartida a APCOR compromete-se – SÃO UNS MÃOS LARGAS - a organizar em parceria com a câmara um evento anual no âmbito da FICOR e publicar uma entrevista com o presidente da câmara no jornal "NOTICIAS APCOR".

Na mesma reunião foi ainda deliberado! proceder por ajuste directo à "aquisição de serviços de assessoria técnica de apoio à implementação e acompanhamento da estratégia de eficiência colectiva PROVERE "montado de sobro e cortiça".

Esta prestação de serviços visa prestar apoio técnico à câmara na implementação e acompanhamento do PROVERE e estamos a falar de mais 30,000.00€ dos dinheiros públicos.

As grandes empresas corticeiras precisam de apoio nestes termos?

Não há outras prioridades?

Uma entrevista no jornaleco dos industriais corticeiros justifica tudo?




terça-feira, 13 de junho de 2017

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Bem Prega Frei Tomás

Proclamava a maioria socialista nas eleições autárquicas de 2013 a intenção de elaborar o "Manual de Boas Práticas Ambientais e Florestais" bem como criar o programa "Coruche Inspira Qualidade Ambiental".

Entretanto nada do que prometeram foi feito e para ilustrar esta afirmação, nada melhor do que visualizar as fotos da "vala" de águas esverdeadas.



Que fedem e produzem mosquitos, aos milhares, ali mesmo a 50 metros da Praça de Touros e do Pavilhão Desportivo, paredes meias com a Praça de água e o local onde Chico Oliveira promete construir a Praia Fluvial.

Sendo um problema de saúde publica. É também a demonstração cabal da inoperância dos socialistas e da "cegueira" que contraíram, pois certamente que, nos voos em balão de ar quente que fizeram aquando do "Festival de Balonismo" puderam avistar a "CHARCA"
em PUTREFACÇÃO.

Exige-se que antes das Festas de Agosto este problema esteja solucionado!



terça-feira, 6 de junho de 2017

PRIORIDADES!

Prometida a praia fluvial para este verão (AQUI)


Entretanto, já abriu a época balnear, a 1 de Junho, e praia ??? NADA!!!

Mas...

Será que este é um investimento prioritário?

Ou, a intenção não será antes proporcionar uma maior possibilidade de negócio ao concessionário do "Del Rio" ?

Temos Piscinas com óptimas condições, para quê uma Praia Fluvial na Vila ?


Porque não investir antes na despoluição do rio?
(A 3km da vila, a jusante, este é o estado em que se encontra o leito do rio, praticamente coberto de "jacintos de água")

(Que tem a senhora câmara a dizer?)