"O que diferencia «uma mudança reformista» de «uma mudança não reformista» num regime político, é que no primeiro caso o poder continua fundamentalmente nas mãos da antiga classe dominante e que no segundo o poder passa das mãos dessa classe para uma nova."

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

A Luta de classes na Venezuela!



A questão do Estado é a questão central de qualquer revolução
Venezuela, a questão central do poder
A violência da campanha contra a Venezuela bolivariana e a não menos violenta onda de anticomunismo vomitada contra o PCP só é explicável porque o que está em jogo é o destino de um processo revolucionário. A extraordinária agudização da luta que opõe as forças reaccionárias e o imperialismo às forças que defendem as conquistas alcançadas desde a histórica vitória de Hugo Chávez nas eleições presidenciais de 1998 não é apenas em torno da orientação política do poder, mas em torno do próprio poder, seu conteúdo económico e social e natureza de classe.

A questão do Estado é a questão central de qualquer revolução e na Venezuela o que tem estado em desenvolvimento com a aprovação da Constituição bolivariana que consagra uma orientação popular, anti-oligárquica e anti-imperialista é um original processo de transformações revolucionárias que já se traduziram em grandes avanços e conquistas democráticas, mas cuja defesa e consolidação exigem – como aliás prevê a própria Constituição – que o sistema de poder supere os métodos, ainda predominantes, da democracia formal burguesa e se aprofunde a componente participativa da democracia, de modo a enraizar o Estado nas massas trabalhadoras da cidade e do campo e a colocá-lo ao abrigo da demagogia, da sabotagem e da provocação, sempre prontas a aproveitar-se de factores conjunturais adversos para inverter e destruir o processo bolivariano.

Que não haja qualquer dúvida. O que faz correr tão agressivamente a «oposição» interna, o imperialismo norte-americano (e europeu) e a reacção latino-americana, não é a «democracia» nem os «direitos humanos», e muito menos o respeito pela Constituição bolivariana a que aliás sempre se opuseram. O ensurdecedor coro montado no plano internacional contra a Assembleia Nacional Constituinte – do qual, lamentavelmente, seguindo a posição hostil da União Europeia, participa o Governo português – mostra que é realmente a natureza de classe do poder que está em causa e que a reacção e o imperialismo estão dispostos a tudo para atingir os seus objectivos contra-revolucionários. Não é por acaso que tal coro esconde que a própria Constituição de 1999 prevê o seu aperfeiçoamento no interesse do aprofundamento do carácter popular e soberano do processo bolivariano. O que significa que a resposta do governo da Venezuela à ofensiva contra-revolucionária é não só legítima como inteiramente constitucional. Em qualquer caso, é bem sabido que uma revolução que se não defenda com todas as armas ao seu dispor é uma revolução perdida. A revolução bolivariana defende-se e tem ao seu lado os comunistas portugueses. O PCP não hesita em questões de princípio. Nenhuma campanha fará o PCP vacilar na sua posição internacionalista.

Apesar de frustrada no imediato, a ofensiva contra-revolucionária que desde Abril já provocou mais de cem mortos não terminou. A brutal ameaça de intervenção militar dos EUA, sem precedentes na história da Venezuela, mostra que a solidariedade com o processo revolucionário bolivariano tem de continuar.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

SÓ MARRADAS


Elas aí estão as festas de 2017.

Mais uma edição, este ano a programação vem confirmar que o "modelo" das festas do castelo tem de ser repensado para que voltem a ter o brilho e qualidade de outrora.

A overdose de 'touros e copos" durante quatro dias já não se aguenta, os "touros à corda" nada têm a ver com as tradições coruchenses.

A comissão de festas está sem ideias, precisa levar uma volta.

A câmara, gasta nestas festas cerca de 150 mil euros! é muito dinheiro para tão pouca qualidade.


terça-feira, 8 de agosto de 2017

A Praia


A prome(n)tida praia fluvial de Coruche, anunciada por Chico Oliveira num Passeio de barco no Sorraia em 2015. Continua sem se ver...

Contudo, na reunião de Câmara de 8 de Fevereiro foi aprovada uma "aquisição de serviços" no valor de 13.038.00€ para a elaboração do estudo prévio e projecto de execução da dita, à empresa "NEMOS" com o prazo de execução de 150 dias.

Já estamos em meados de Agosto e da praia não há qualquer sinal!

Esta é mais uma mentirola dos socialistas que vai para a já vasta galeria das promessas não cumpridas.

PS: Informa-se que a embarcação "Coruja do Sorraia" se encontra-se em estado de coma na Zona Industrial do Monte Da Barca e dificilmente voltará a sulcar águas coruchenses.

A Venezuela Vencerá!

A eleição da Assembleia Constituinte venezuelana e a sua tomada de posse ontem constituem uma importantíssima vitória. Não significa, é certo, o fim das ingerências do imperialismo e da violência fascista na Venezuela. Trump já anunciou novas sanções, pela ousadia de dar a voz ao povo. Querem mais sangue, mais Líbias, mais Sírias, mais Iraques. O coro mediático, em que no nosso país participam vozes que vão da extrema-direita ao BE, não irá calar-se. Mas a clara afirmação da dignidade e coragem dum povo que quer a paz e não quer ceder as conquistas da Revolução Bolivariana abre melhores perspectivas para os combates futuros.
A eleição para a Assembleia Nacional Constituinte (ANC) da Venezuela foi uma enorme vitória. Desde há meses, o país é vítima duma brutal violência diária da reacção interna e internacional, que aproveitou a baixa do preço do petróleo para gerar o caos económico como arma de subversão (como no Chile dos anos 70, preparando o terreno para Pinochet, ou na própria Venezuela, preparando o golpe de Estado de 2002). Mas, apesar duma das mais miseráveis campanhas de patranhas da comunicação social ao serviço do grande capital e do imperialismo, o povo venezuelano acorreu em massa a votar, afirmando a sua vontade de ser soberano.
A «oposição democrática» – que queimou vivas várias pessoas nestas últimas semanas (há casos documentados em vídeo na Internet) – não só apelou à não participação no acto, como tentou activamente boicotar a abertura de centros de votação e a deslocação dos eleitores às urnas. O imperialismo mobilizou todos os meios: os bandos terroristas cujos crimes são depois imputados ao governo; uma comunicação social em «modo de guerra» e fake news, como as que antecedem todas as grandes operações imperialistas; as repetidas ameaças de sanções; os anúncios prévios de não reconhecimento dos resultados eleitorais; o assassinato de candidatos. Mas mais de oito milhões de venezuelanos votaram – a segunda maior votação absoluta a favor da Revolução Bolivariana. A percentagem de votantes pela ANC – 41,5% do corpo eleitoral – é quase igual à que obteve Macron na segunda volta face a Le Pen, no que foi considerado um triunfo esmagador. As imagens da afluência de muitas dezenas de milhares de eleitores das zonas mais atingidas pela violência fascista ao centro eleitoral especial instalado no Poliedro de Caracas falam por si sobre a determinação e coragem dos venezuelanos.
A importância da Venezuela é enorme: pelos seus recursos petrolíferos, mas também pelo que representa para os processos de afirmação soberana e progressista na América Latina e no mundo. Para quantos ainda se possam deixar levar pelas campanhas anti-bolivarianas que vão de Trump ao Bloco de Esquerda (declaração de CM, DN 30.7.17), deixemos que seja o próprio Director da CIA, nomeado por Trump, a esclarecer as coisas. Falando perante uma audiência amiga no fórum anual sobre «segurança» do Aspen Institute, disse Pompeo (transcrição no site do Instituto): «estamos muito esperançados que possa haver uma transição na Venezuela e nós na CIA estamos a fazer o nosso melhor para perceber a dinâmica, para a podermos transmitir ao nosso Departamento de Estado e outros. […] estive na Cidade do México e em Bogotá na penúltima semana, para falar precisamente desta questão e ajudá-los a compreender aquilo que podem fazer». Até a escolha do México e Colômbia é elucidativa. «Em Maio de 2017, o Instituto de Estudos Estratégicos e Internacionais de Londres, apontou o México como o segundo país mais violento do mundo, tendo em conta as 23 mil pessoas aí assassinadas no ano anterior. Só na Síria […] o número de pessoas assassinadas foi mais elevado em 2016» (abrilabril.pt, 30.7.17). Nada que preocupe a comunicação social imperial: é tudo a bem dos negócios.
Esta eleição não significa o fim das ingerências do imperialismo e da violência fascista na Venezuela. Trump já anunciou novas sanções, pela ousadia de dar a voz ao povo. Querem mais sangue, mais Líbias, mais Sírias, mais Iraques. Mas a clara afirmação da dignidade e coragem dum povo que quer a paz e não quer ceder as conquistas da Revolução Bolivariana, abre melhores perspectivas para os combates futuros.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Para avivar a Memória!

PS NÃO ACAUTELA INTERESSE MUNICIPAL


Ao aprovar o protocolo “Serviço de Transporte Ferroviário de Passageiros entre Coruche e Lisboa”, o PS fê-lo com uma grande doze de irresponsabilidade.
Estabeleceu compromissos financeiros e outros, cujo volume ninguém está em condições de avaliar.

Impunha-se que antes da assinatura deste protocolo, tivesse sido elaborado um estudo económico ou financeiro que permitisse com objectividade avaliar um conjunto de indicadores e só após esse estudo avançar ou não para a sua aprovação.

- Quantas pessoas se deslocam para Lisboa diariamente? 100? 200? Ninguém sabe ao certo com rigor!

- Das que se deslocam para Lisboa quantas tencionam optar pela viagem de Comboio?

- Os horários devem ser adaptados às necessidades dos eventuais passageiros e não aos interesses da CP/REFER. Será que os horários propostos servem eventuais utentes?

- O tarifário deveria ter sido previamente definido por forma, que os eventuais utentes possam avaliar das vantagens do transporte do comboio.


Não basta o presidente da câmara afirmar que diariamente vão para Lisboa centenas de Coruchenses. Para haver rigor neste processo deveria ter sido feito o estudo mencionado, que desse resposta às questões referidas e a outras que ajudassem a câmara a tomar uma decisão final.
Mas o PS assim não entendeu e aprovou o protocolo que responsabiliza a câmara pelas seguintes questões:

- Assegurar ligações rodoviárias regulares da vila para a Estação de Caminho de Ferro e vice-versa. Articuladas com os horários dos comboios. (Quanto vai custar à câmara?)

- Executar os trabalhos nos espaços circundantes à estação de Coruche, nomeadamente no que diz respeito à interface e acessibilidades pedonais e rodoviárias. (Quanto vai custar à câmara?)

- Assegurar a manutenção e conservação dos espaços interface e acessibilidades. (Quanto vai custar à câmara?)

- Assegurar a gestão, limpeza e vigilância pública nos espaços afectos aos passageiros, parque de estacionamento e interface, na estação de Coruche com níveis de qualidade a acordar entre as partes. (Quanto vai custar à câmara?)

- Comparticipar em 16.66% dos défices de exploração se os houver, procedendo ao respectivo pagamento mensalmente. (Quanto vai custar à câmara?)



Pela descrição feita das responsabilidades que cabem à câmara de Coruche, fica evidente que este processo foi tratado à pressa, sem qualquer estudo prévio sério que permitisse por um lado apostar na reactivação deste serviço e por outro acautelar o interesse público municipal.

Estranho é que o presidente da câmara, quando confrontado com a necessidade de apoiar os Coruchenses mais carenciados, diga que a vocação da câmara não é dar esmolas e remete para a “caridade” da segurança social.
Para este negócio com a CP/REFER “abre os cordões à bolsa”, da forma como ficou demonstrado, só porque pensa que com assinatura deste protocolo obtémmais uns votos.



ESTA GESTÃO MERECE SER CASTIGADA PELOS CORUCHENSES

terça-feira, 1 de agosto de 2017

O que eles nos prometiam em 2013!


AS PROMESSAS DELES ...


Em 2009, aquando das últimas eleições autárquicas, "eles", os do PS, prometeram mundos e fundos para obter os votos dos Coruchenses. Masganhas as eleições desataram a fazer "Festas e Novelas" borrifando-se  para o cumprimento do que haviam prometido, como aliás fazem em geral os socialistas.

Aqui ficam alguns exemplos das promessas que "eles" nos fizeram e que constam do programa eleitoral distribuído profusamente por todo o Concelho, que, obviamente, nunca tiveram  intenção de cumprir.


CRIAR O PROGRAMA "REGRESSO A CASA" - PROGRAMA PARA JOVENS QUE QUEIRAM  REGRESSAR AO CONCELHO ELEGENDO A SUA TERRA COMO 1ª RESIDÊNCIA;


ADAPTAR O EDIFÍCIO DO ANTIGO CINEMA IMPÉRIO DO COUÇO A CENTRO CULTURAL;


Vamos pedir-lhes contas, eles não podem ficar impunes!




Posted by 27.5.13 11 comentários:  

domingo, 2 de junho de 2013    

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Continuar a confiar ... !


Continuar a confiar é a mensagem apelo que o recandidato à câmara de Coruche do partido socialista está a difundir por todo o concelho.

Mas, como podem os eleitores coruchenses confiar em alguém, que está na câmara desde 2005 e desde então, contam-se por dezenas as promessas não cumpridas e agora mais uma vez prometidas!

Eles os do PS, responsáveis pela regressão económica, social e política que desde 2002 atingiu o concelho têm o despudor de pedir que continuemos a confiar!?

Foram as políticas socialistas que levaram ao encerramento de vários serviços públicos, escolas, zona agrária, perdemos o cinema, os açudes, duas freguesias, temos menos população, as aldeias do concelho estão ao abandono, os jovens não têm como sobreviver no concelho e continuam a sair para a emigração ou para os grandes centros urbanos.

Prometeram-nos o regresso do combóio, deram-nos telenovelas, festas e mais festas, desfiles de moda, propaganda e mais propaganda, conceberam um plano de marketing para vender a marca Coruche. Sempre dizendo que o retorno do investimento na divulgação de Coruche vinha aí! Nunca chegou.

Agora prometem-nos "enxovais" para os recém nascidos, casas e empregos para os jovens, a requalificação urbana, praia fluvial, bicicletas para passear, dizem-nos que somos a capital mundial da Cortiça e do balonismo!

Porra, do que é que isso nos tem servido? o concelho está melhor?
Se as coisas já não iam bem com o Mendes! com o Oliveira pioraram!

E pedem -nos que confiemos! Safa......


quinta-feira, 20 de julho de 2017

A Realidade e a Ficção


Bem pode Xico Oliveira anunciar que desta vez é que é !!! Que a realidade objectiva se encarrega de o desmentir.

Não bastam declarações a anunciar um futuro cor de rosa, são necessárias políticas concretas que vão muito para lá de festas e largadas de touros.

Eis a evolução de alguns indicadores importantes que permitem aferir do estado do concelho de Coruche, gerido pelo PS.

População residente:
2009 → 20.248
2015 → 18.725

Eleitores:
2009 → 18.673
2015 → 17.105

% de jovens com menos de 15 anos:
12,3% em 2009
11,4% em 2015

% de idosos (mais de 65 anos):
28,5% em 2009
29,9% em 2015

Estabelecimentos de ensino Pré-escolar:
14 em 2009
12 em 2015

Estabelecimentos do 1º ciclo do ensino básico:
15 em 2009
  9 em 2015

Docentes do ensino não superior:
269 em 2009
189 em 2015

Alunos do ensino não superior:
2.823 em 2009
2.454 em 2015

Empresas não financeiras:
2059 em 2009
1870 em 2015

Receitas fiscais da Câmara em %:
2009 → 11,6%
2015 → 16,7%

Receitas da Câmara com o IMI, por habitante:
21,50€ em 2009
85,00€ em 2015

Receitas da Câmara em % das despesas:
  95,2% em 2009
136,5% em 2015

Estes números provam que não é continuando com políticas ilusionistas tentando iludir a realidade e assentes num famigerado programa de Marketing "Coruche inspira" que o concelho avança.