"O que diferencia «uma mudança reformista» de «uma mudança não reformista» num regime político, é que no primeiro caso o poder continua fundamentalmente nas mãos da antiga classe dominante e que no segundo o poder passa das mãos dessa classe para uma nova."

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

2013

Que em 2013 prossiga e se alargue a luta dos trabalhadores e das populações, condição indispensável para abrir caminho a uma politica que valorize o trabalho, promova o desenvolvimento e os serviços públicos, respeite os direitos e valorize os salários e pensões.


Vamos com a luta correr com PSD e CDS-PP do governo, Correr com a troika estrangeira! 
Por uma nova politica e um novo governo, com uma politica de esquerda ao serviço dos trabalhadores e do povo! Ao serviço de Portugal ! 




domingo, 30 de dezembro de 2012

52 FALÊNCIAS POR DIA EM 2012


Em Portugal verificaram-se 52 falências por dia ao longo de 2012, um aumento de 62% em relação a 2011. Ao mesmo tempo, denuncia a CGTP, "A dívida aos trabalhadores que perderam os postos de trabalho em resultado do encerramento ou falência das empresas ultrapassa os 316 milhões de euros, afectando mais de 43 mil trabalhadores do sector público e privado, segundo dados apurados pela CGTP-IN. Na realidade o valor é muito superior, uma vez que este levantamento não abrange todos os distritos nem todos os sectores de actividade" . E com o Orçamento de Estado (inconstitucional) de 2013 é mais que certo que não haverá qualquer recuperação económica no próximo ano. A economia real portuguesa continuará nesse caminho para o abismo. Os aumentos na electricidade, gás, combustíveis, transportes, já anunciados para Janeiro, destinam-se a retirar ainda mais rendimento disponível dos trabalhadores e das PMEs (reduzindo-lhes a competitividade) e engordar o capital oligopolista. 
É preciso entender o que está realmente a acontecer: 1) A prioridade deste governo não é recuperar a economia real e sim satisfazer os credores externos de Portugal;   2) Com esse objectivo procura extorquir o máximo que pode do povo português, a qualquer custo e utilizando todas as manigâncias possíveis;   3) A lealdade do ministro das Finanças, Vitor Gaspar, é para com o capital financeiro e não para com o país que o viu nascer;   4) Ao "diluir" ao longo do ano os subsídios de férias e de Natal dos trabalhadores o plano não confessado do governo é vir a extingui-los. 
Correr com esta gente, recuperar a soberania monetária e romper as amarras com a UE é um imperativo de sobrevivência nacional.


terça-feira, 25 de dezembro de 2012

O Natal da nossa tristeza


Para a imensa maioria dos portugueses, este foi um mau, um péssimo Natal. Foi o Natal do desemprego (na maioria dos casos sem o respectivo subsídio); das pensões e reformas brutalmente amputadas; dos subsídios roubados; dos direitos laborais assaltados; de serviços públicos essenciais liquidados; do poder local democrático flagelado; da independência nacional desprezada. Foi, por tudo isso, o Natal da pobreza, da miséria, da fome – da tristeza. Foi, enfim, o pior de todos os natais pós-25 de Abril.

Vão longe os tempos da Revolução de Abril, esses tempos luminosos a apontar o futuro, esses tempos do respeito pelos direitos dos trabalhadores e do povo; do respeito pelos princípios e valores democráticos; do respeito pelo interesse nacional – que é o interesse dos trabalhadores, do povo e do País.

Olhando para trás, para os quase quarenta anos que já lá vão desde 1974, não há memória de Natal tão pobre. E tão triste.

Para a imensa maioria dos portugueses, insista-se. Porque para a imensa minoria este foi um Natal de fartura, de abastança, de bem-estar. De acordo, aliás – como não se cansam de nos lembrar os propagandistas das bondades da exploração do homem pelo homem – com a «ordem natural das coisas», expressão que traduzida à letra dá mais ou menos isto: ricos e pobres sempre houve e há-de haver e queira Deus que os ricos sejam cada vez mais ricos para poderem dar maiores esmolas aos pobres...

Natal triste, portanto.

«Culpa da crise» – dizem os culpados, sacudindo a água dos capotes, fingindo que não sabem que de há quase trinta e sete anos a esta parte são eles, e só eles, que têm estado nos sucessivos governos, todos praticando a mesma política de direita, todos roubando Abril a Abril.

E são muitos esses culpados, tantos que seria fastidioso nomeá-los um a um.

Por isso, apontemos o dedo – por ordem de entrada em cena – a alguns dos principais causadores deste Natal triste para a imensa maioria dos portugueses: Mário Soares, Cavaco Silva, António Guterres, Durão Barroso, José Sócrates, Passos Coelho/Paulo Portas...

Foram eles que nos entraram pelas chaminés e nos trouxeram, como prenda, este Natal da nossa tristeza.

domingo, 23 de dezembro de 2012

DEMOCRACIA E SOCIALISMO - Os valores de Abril no futuro de Portugal

O DESCALABRO


O descalabro das finanças públicas continua. Revela-se agora que a arrecadação fiscal caiu 5,8% entre Janeiro e Novembro de 2012 #0150; consequência inelutável do pacote da troika. Além de levar o país à ruína, este governo de traição nacional continua o seu programa de privatizações selvagens. O cancelamento da venda da TAP a um suspeitíssimo sionista-colombiano constitui uma vitória parcial dos trabalhadores e da maioria do povo português. Mas a intenção de privatizá-la ainda continua de pé, assim como de privatizar a ANA, ENVC, RTP, as Águas de Portugal e o pouco que resta do sector empresarial do Estado. Um tal governo compromete não só as gerações presentes como também as futuras. Deitá-lo abaixo, com o seu Orçamento de 2013, é uma tarefa urgente. Figurinhas como o sr. Relvas, P. Coelho, António Borges e quejandos não são próprias de um país decente.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

A "BÚZIOS" continua a "comer" do orçamento Municipal

A maioria socialista na Câmara de Coruche, aprovou na reunião de hoje, mais uma "aquisição de serviços à empresa do A.Tadeia".

A esta empresa, considerada pela C.M.C. como uma associação sem fins lucrativos, foi "adjudicada" a vigilância em 2013 nas piscinas municipais, contra um pagamento mensal de cerca de 3.000.00 €.

Assim não admira que nas próximas eleições de Outubro, o Presidente da empresa, A. Tadeia apareça novamente a apoiar o PS, Pudera! assim também eu!

____________________________
E o que terá a dizer sobre esta matéria o Presidente da Junta da caridade de Coruche?

Não achará um exagero o que a Búzios aufere? Não era preferível canalizar estes recursos para ele distribuir mais uns quilos de mercearia?



Crise? 
é só para alguns?


domingo, 16 de dezembro de 2012

O Jactancioso




Pediu a palavra, levantou-se com cara de caso e com aquele estilo que lhe é tão característico de pseudo-intelectual disse, "vou para a frente de todos quero fazer a minha intervenção olhando os membros desta assembleia olhos nos olhos" sacou do "discurso" e durante longos minutos relatou as agruras porque estão a passar muitas famílias de Coruche por causa da crise.


Relatou ao pormenor o número de garrafas de azeite, os quilos de arroz e outras mercearias que "a minha junta", ou seja a dele, tem disponibilizado para ajudar os que estão a passar sérias dificuldades e pasme-se! ele é tão "mãos largas" que não se limita a apoiar os carenciados da sua freguesia, não, no rol dos apoios que relatou, constam também fregueses de Santana, da Erra,  Lamarosa e do Couço.


No final do discurso desafiou ainda os seus pares para lhe seguirem o exemplo, em vez de gastarem o dinheiro das juntas em almoços com os reformados. Melhor fariam se seguissem o seu exemplo.

Teve ainda tempo para em frente da Assembleia que o olhava "olhos nos olhos" endereçar um convite solene ao Presidente Cavaco para que se demita, pois, rematou, é o pior dos Presidentes que já tivemos depois do 25 de Abril.

A coisa ia bem, mas, eis que um dos seus pares lhe chama a atenção para os seguintes factos.


Sendo certo que as politicas governamentais estão a levar a fome a muitos lares coruchenses, é preciso fazer algo mais que discursos eivados de "verborreia revolucionária" e ter atitudes coerentes com as proclamações palavrosas.

De facto nunca naquela Assembleia, o supracitado personagem fez qualquer reparo critico à forma como têm sido usados os dinheiros do Município, pode-se mesmo dizer que sempre apoiou e votou todos os orçamentos municipais e nunca se insurgiu contra os escandalosos apoios financeiros às novelas e festas que como as do castelo, que no ano passado tiveram duas noites de fogo de artificio e toiros à corda vindos dos Açores e quem pagou?

Nunca o referido personagem levou à Assembleia qualquer proposta ou sugestão para que no orçamento municipal fosse considerada qualquer dotação para apoios sociais.


Foi de facto um discurso verborreico! ao seu nível!


PS: Este é um breve relato muito resumido do que se passou na última reunião da Assembleia Municipal de Coruche.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

ZELO E RIGOR NOS SERVIÇOS DE SAÚDE DE CORUCHE



O zelo e rigor no Centro de Saúde de Coruche é tal, que a sua Coordenadora Técnica vai ser condecorada pelo ministro que reconhece o esforço da dita na cobrança de dívidas, que alguns coruchenses, caloteiros compulsivos deixam no Centro de Saúde, nomeadamente, de taxas moderadoras e outros actos médicos como a medição da tensão arterial.

Para recuperar os "calotes" a dita senhora está a enviar cartas registadas e com aviso de recepção aos caloteiros, e tal é o rigor e empenhamento da senhora, que quem se deslocou de urgência ao Centro de Saúde porque teve uma brusca subida de tensão arterial está a ser notificado para pagar os devidos 80 cêntimos e ainda recebe a ameaça de que se não pagar no prazo de 10 dias pode vir a ter de pagar uma multa, nunca inferior a 100€ e isto também é valido para quem por qualquer razão não liquidou na hora a taxa moderadora da consulta de urgência.

A situação descrita é caricata mas é o que se está a passar no nosso serviço público de Saúde, uma vergonha!


Os coruchenses merecem mais respeito!

PSD/CDS estão a destruir
o Serviço Nacional de Saúde!

Rua com eles!

MAIS PRIVATIZAÇÕES ESCANDALOSAS


As palavras privatização e corrupção rimam perfeitamente. A nova vaga de privatizações, orquestrada por António Borges, ameaça dilapidar a preço vil o pouco que resta do sector empresarial do Estado. Após a nebulosa privatização da EDP, os governantes ao serviço da troika pretendem agora privatizar a TAP – entregando-a ao capital sionista-colombiano. O encaixe para o Estado seria de uns míseros 20 milhões de dólares . Na fila das privatizações aguardam a ANA, os Estaleiros Navais de Viana do Castelo, a RTP e umas poucas mais empresas. Este filme já passou na Grécia há um par de anos e é agora reencenado em Portugal. Os capatazes da troika constituem um governo de traição nacional, o último de uma longa série. Se a Lei 47/77 ainda estivesse em vigor, Portugal estaria melhor preparado para enfrentar a depressão económica que agora se inicia na Europa e nos EUA. Mas amarrado ao euro e sob a pata da UE, está inerme. Romper as amarras é preciso.

domingo, 9 de dezembro de 2012

Protesto junto ao Parlamento contra Extinção de Freguesias

video
Presidente da Junta de Freguesia da Fajarda em directo na RTP 1

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Em Defesa do Poder Local Democrático


No próximo sábado, 15 de Dezembro, realiza-se frente ao mercado municipal em Coruche, durante a manhã, uma concentração/manifestação para a qual é convocada toda a população do Concelho para que afirme, de forma inequívoca a sua firme oposição há intenção do PSD/CDS de extinguir as freguesias da Fajarda e da Erra.

Esta concentração é promovida por uma comissão criada pela Assembleia Municipal por proposta da CDU e integra representantes da Câmara, Assembleia, Freguesias e Deputados Municipais.

Contra a extinção das Freguesias!
Viva o Poder local, Conquista de Abril!


segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Mais um "doutor" à PS

"O Doutor Luís Fonseca é o novo comandante dos Bombeiros Municipais de Coruche e está a assumir todas as responsabilidades que eram do Capitão Rafael Rodrigues anterior Comandante, a quem não foi renovada a comissão de serviço."

Foi assim com estas palavras que o presidente da Câmara apresentou ao Concelho Municipal de Segurança o novo Doutor, que para além de doutor, acumula com o cargo de Comandante, mais a sua qualidade de Boy do PS.





Assim, sem mais explicações, e sem uma única palavra de apreço ou reconhecimento pelo Capitão, que em 2002 o Presidente foi buscar a Setúbal e cujo currículo não se cansou de elogiar.


O que se terá passado !?! não sabemos, mas que é estranha a forma abrupta e mal contada sobre a saída do Rafael, lá isso é! 


sábado, 1 de dezembro de 2012

Mercados e Mitos



 Intervenção de Carlos Carvalhas - XIX Congresso do PCP 

 Democracia e Socialismo 
Os valores de Abril no futuro de Portugal